Fotos & Fatos: A história do biquini.

Sei que falar desse assunto em pleno outono parece contraditório, mas como eu não sigo religiosamente as tendências, eu estou no barco certo, mesmo que pareça estar nadando contra a corrente. Enfim, não há como negar que no momento de adquirir um biquini hoje em dia, além de levarmos em consideração o fato de ele cair bem em nossa silhueta, também nos interessamos em saber se a estamparia, as cores e o modelo estão em alta naquele momento. Esta não é uma realidade de muitos anos atrás. Faz pouco tempo que o biquini entrou para o concorrido e celebrado mundo da moda, propriamente dito. Não que ele fosse um artigo pouco explorado anteriormente, mas é que nos dias atuais ele tem chamado muito mais atenção, ganho muito mais espaço e prestígio. Antes, o ato de colocar um biquini para curtir um dia ensolarado não gerava tantas questões nas cabeças femininas. Pergunte só à sua mãe ou avó e compare com as questões na sua mente, na hora de comprar um biquini novo. Você pode se surpreender!

Acompanhe agora em fotos e fatos, extraídos do site da revista Elle norte-americana, a história de glória de uma vestimenta que já foi considerada até mesmo revolucionária.

1913: Treze anos depois de as mulheres obterem permissão para competir nas Olimpíadas, Carl Janzten introduz um tipo de traje de banho de duas partes, a fim de melhorar a performance delas. É apenas uma camiseta e um shortinho, mas suficientemente colados ao corpo para causar escândalo.

Anos de 1930 e 1940: Na Europa as mulheres começam a usar roupas de banho que mostram um pouco mais de pele na região da cintura. Isto faz parte do racionamento de tecido durante a Segunda Guerra Mundial.

1946: Com o fim da guerra e os ânimos acalmados, Jacques Heim, designer parisiense, acostumado a fazer seus trabalhos, em sua maioria, com peles, cria Atome - a menor roupa de banho do mundo, na época.

1947: Louis Reárd, um engenheiro parisiense, introduz no mercado uma roupa de banho ainda menor do que a Atome e o chama do biquini após o biquini Atoll, fazendo uma analogia ao lugar no Oceano Pacífico que ficou famoso por ter sido o locar escolhido para o primeiro teste atômico, em primeiro de julho do ano anterior. A showgirl Micheline Bernardini foi quem mostrou o biquini pela primeira vez, em uma famosa piscina pública, localizada no centro de Paris.

Início dos anos 1950: Praias pela Europa e no Mediterrâneo tentam banir o uso do biquini, assim como acontece na maioria dos países Católicos e até mesmo o concurso de Miss Mundo. Porém Reárd recebe certa de 50 mil cartas de fãs e se sente impulsionado a lançar uma campanha publicitária bastante agressiva dizendo que o biquini não é real "ao menos que possa ser puxado através de um anel de casamento."

1957: Brigitte Bardot faz um "splash" no Festival de Cannes, onde foi fotografada de biquini por diversas praias francesas. Marilyn Monroe e Esther Williams seguem o exemplo da bela nos Estados Unidos, mas a revista Modern Girl diz que "Dificilmente se faz necessário desperdiçar palavras para falar sobre o tal do biquini, já que é inconcebível que qualquer garota que possua tato e decência algum dia venha a usar tal coisa."

Início dos anos 1960: Em 1960, Bryan Hyland lança o single "Itsy Bitsy Teenie Weenie Yellow Polka Dot Bikini." Dois anos mais tarde Ursula Andress emerge do mar trajando um biquini branco com cinto, como Honey Hyder em Dr. No, primeiro filme de Sean Connery como James Bond. Naquele mesmo ano, a revista Playboy finalmente coloca um biquini em sua capa.

1963: Annette Funicello e Frankie Avalon são as estrelas do filme "Beach Party" e o biquini rosa bebê usado por Funicello nas telonas enlouquece a America. A banda "Beach Boys" está compondo canções como " California Girls" e "Surfing Safari", fazendo com que o biquini entre de vez para o circuito principal.

1966: Rachel Welch veste um biquini de pele "One Million Years BC". A tanga usada por ela no cartaz do filme acaba se tornando mais famosa que o próprio longa, presentando a beldade com o título de mulher mais desejada dos anos 1970, pela revista Playboy.

1983: Carrie Fisher tira o biquini das praias. Em "Star Wars IV: O Retorno de Jedi", a Princesa Leia usa um biquini que vai gerar lucros por anos a fio, principalmente para as lojas que vendem fantasias para Halloween.

1988: A empresa de Réard fecha na França, mas a popularidade do biquini só aumenta, chegando aos mais de 20% apenas na venda de roupa de banho nos Estados Unidos. O Brasil começa a chamar a atenção do mundo pela ousadia do seu biquini, que é bastante cavado e apertado ao corpo.

2003: É preciso bem mais do que um simples biquini para se conseguir um splash nos dias atuais, mas quando Demi Moore saiu do mar em uma cena do filme "Charlie’s Angels: Full Throttle", seu retorno se transformou em tópico de conversa favorito. A cena foi tida como uma "renascimento" de sua carreira cinematográfica.

2010: Eva Herzigova usa um biquini de couro com cara de retrô na passarela da Adriana Degras, pelo São Paulo Fashion Week. É o primeiro biquini que pode funcionar como uma roupa - se você tiver o corpo da Herzigova, é claro.

2011: Gwyneth Paltrow sai de férias com a família e é flagrada tomando uma chuveirada no iate de Steven Spielberg. Mãe de dois filhos, ela mostra um corpo escultural e faz com que mulheres do mundo todo comecem a rezar aos pés do altar de Tracy Anderson.

2012: Kate Upton, uma modelo relativamente desconhecida é capa da revista Sports Illustrated. Na capa ela traja um biquini (se é que podemos dar este nome ao que ela veste) que faria o próprio Réard corar.

Fonte: Elle US.

Advertisements