Um pouco do que não foi dito sobre… Peplum.

O peplum agradou mulheres nos anos 1940, chegou de leve aos anos 1980 e “aterrisou” aqui e agora para ajudar muitas mulheres na tarefa de deixar a silhueta mais curvilínea e bonita. Se você é uma das que acha que o peplum está apenas à disposição de quem tem o estilo girly, precisa rever seus conceitos. Neste artigo contarei um pouco mais sobre a história deste ítem que tem entrado no guarda-roupa de muitas de nós e mostrar como usá-lo de maneira correta.

Foi Christian Dior quem deu vida a “Peplum mania” na década de 1940, mais precisamente em 1947. Para quem ainda não sabe, este elemento fazia parte de uma das silhuetas criadas pelo estilista, quando do nascimento do famoso “New Look”. O peplum então acabaria por dar o título de estrela do corpo feminino à cintura. O ítem que trazia estrutura, sem deixar de prezar pela feminilidade e, acima de tudo, pela elegância. Porém, a história do peplum não tem início com Dior, mas sim por volta de 1800, na forma de pequenas saias, mais como se fossem babados, que eram costurados próximos à cintura, junto às amplas e longas saias dos vestidos e saias da época. Já no século XX o peplum passou a ser acoplado às cinturas de jaquetas e saias, fazendo as vezes de um babado estruturado que acentuava o quadril.

Fotografia histórica de uma das criações de Christian Dior. Estava lançado o “New Look”, em 1947 e, junto com ele, a “Peplum mania”.

É fato que a “Peplum mania” está tendo um retorno triunfal e que não irá reinar apenas durante este ano de 2012, já que vimos que os desfiles de verão 2013 também trouxeram peplums de todos os jeitos, para todos os gostos e estilos. Sim, eles evoluíram! Ah! E se você é daquelas que morre de pavor só de imaginar o volume que o peplum pode gerar em seu quadril de brasileira, não precisa sofrer tanto assim. O que você vai ler neste artigo pode (e deve) lhe surpreender!

Quem já conhece o peplum e/ou pesquisou um pouco sobre o ítem ao longo da história já se acostumou com a idéia de ele estar sempre acoplado à saias, blusas ou jaquetas, mas as versões mais moderninhas não recriam apenas o estilo ultra feminino. Tem até mesmo a versão mais esportiva do peplum ou, como visto no desfile da Ellus no SPFW Verão 2013, por exemplo, o peplum removível. Além disso já vimos o peplum ser usado com shorts de alfaiataria. Não podemos negar que houve de fato uma evolução. Ponto para a moda! Os diversos estilos agradecem.

A sua pergunta neste momento deve ser: Ok, mas como é que o peplum pode me ajudar a criar um shape mais harmônico, se eu tenho o quadril largo? A resposta eu te dou agora. Não se trata apenas de escolher cores escuras e peplum sem muitos detalhes, mas sim optar por uma versão que não termine exatamente sobre o volume de seu quadril. O ideal para quem tem quadril largo seria uma jaqueta ou blusa com peplum, em que ele termine um pouco antes de seu quadril começar. Contudo, essa escolha deve ser feita com muito cuidado! Jamais leve peplum para casa sem antes experimentá-lo diante do espelho, até ficar convencida do efeito que ele provoca na sua silhueta.

E, se você não tem muito quadril e precisa de uma ajudinha na hora de criar curvas em sua silhueta, pode comemorar e abusar do peplum. Escolha um que case com o seu estilo e pronto. Arrase por aí!

Advertisements